Câmara técnica estuda aplicação de quarta dose da vacina para idosos e profissionais da saúde


Órgão criado para auxiliar o Ministério da Saúde ainda debate se há necessidade de mais uma aplicação e qual seria o intervalo após a terceira

ANTONIO MACHADO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 22/12/2021Chile e Israel são os países que já aplicam quarta dose; outros debatem possibilidade

A possibilidade de uma quarta dose de vacina contra a Covid-19 ser aplicada começou a ser debatida no Brasil, pela Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (Ctai), criada para ajudar o Ministério da Saúde a definir medidas de combate à pandemia. A informação foi confirmada por Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e membro da Ctai. A princípio, o público dessa quarta dose seria parte do que foi prioritário nas outras fases da vacinação: idosos e profissionais da saúde. Pessoas imunossuprimidas tem a recomendação para receberem a dose de reforço adicional desde dezembro, quatro meses após a segunda dose, a partir de uma portaria do Ministério da Saúde. Até o momento, o Brasil tem 70,2% da população vacinada com duas doses e 20,4% com três, segundo dados da plataforma Our World In Data, da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos.

Contudo, a Ctai ainda discute se há a necessidade da aplicação da quarta dose e qual seria o intervalo desde a terceira. Até o momento, a quarta dose já foi adotada em Chile e Israel, e outros países, como Alemanha e Estados Unidos, discutem a possibilidade após a explosão de novos casos com a chegada da variante Ômicron. Um estudo realizado no Centro Médico Sheba, em Tel Aviv, capital de Israel, indicou que a quarta dose não impede a infecção pela nova cepa, mas detectou um nível maior de anticorpos após a aplicação. Nesta terça, 25, um painel consultivo do Ministério da Saúde israelense recomendou incluir todos os adultos na nova aplicação, cinco meses após a terceira dose, após pesquisadores israelenses analisarem resultados de efetividade que mostraram que aqueles vacinados pela quarta vez alcançaram de três a cinco vezes mais proteção contra doença grave (ou seja, hospitalização ou morte) provocada pelo coronavírus em comparação com quem recebeu três doses.





Source link

Related Articles

Stay Connected

22,952FãsCurtir
3,323SeguidoresSeguir
19,600InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles