Coletivo de torcidas LGBTQ denuncia oito clubes ao STJD por cânticos homofóbicos


Fluminense, Internacional, Náutico, Ceará, Atlético-MG, Remo, Paysandu e Corinthians foram apontados nas Notícias de Infração do Coletivo

Divulgação/ STJDNotícias de Infração será analisadas pela Procuradoria do STJD

O Coletivo de Torcidas Canarinhos LGBTQ entrou com sete Notícias de Infração no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) contra oito clubes por cânticos homofóbicos entoados por seus respectivos torcedores em partidas nacionais. A ação foi apresentada nesta segunda-feira, 6, e pede a inclusão de Fluminense, Internacional, Náutico, Ceará, Atlético-MG, Remo, Paysandu e Corinthians no artigo 243-G por “ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. O STJD informou que as Notícias de Infração serão encaminhadas à Procuradoria para a decisão de comprovação da infração ou arquivamento do processo. A pena prevista no Código Brasileiro de Justiça Desportiva só se aplica a suspensão de partidas, se o caso for praticado por jogadores ou membros da comissão técnica. Não fica claro como seria a punição para o clube. O pedido do Coletivo tem descritivo todas as ocasiões em que os cânticos foram entoados. Confira abaixo:

Fluminense: Em partida contra o Internacional, no dia 6 de novembro, foi identificado o canto “Arerê, gaúcho dá o c* e fala tchê”. O sistema de som do estádio do Maracanã chegou a alertar a torcida para que parasse com os gritos. O árbitro do jogo relatou o ocorrido na súmula.

Internacional: No GreNal de 6 de novembro os colorados entoaram a canção: “Atirei o pau no Grêmio e mandei tomar no c*, ô gremista filha da p* chupa r* e dá o c*”. O Coletivo informou que o mesmo cântico também foi usado em partida contra o Athletico Paranaense, em 13 de novembro.

Náutico: Durante o jogo contra o Sampaio Corrêa, de 15 de novembro, torcedores entoaram gritos de “bicha” quando o goleiro adversário se preparava para bater o tiro de meta.

Ceará: Contra o Corinthians, em partida do dia 25 de novembro, os torcedores cearenses cantaram para o rival Fortaleza as seguintes canções: “A TUF é gay” e “matador de leão e come c* de tufgay”. O Coletivo das torcidas LGBTQ anexou um vídeo que comprova os cânticos. No jogo contra o Sport, em 14 de novembro, os mesmo gritos foram ouvidos, assim como contra o Fortaleza no dia 17.

Atlético-MG: Na partida contra o Flamengo, no Maracanã, dia 30 de outubro, a torcida visitante cantou: “tomar no c* mengo, tu és time de otário c*, p* v* e ladrão”. Contra o Fluminense, cantos parecidos também foram entoados no estádio. O Coletivo encontrou um vídeo nas redes sociais com a canção. O árbitro não relatou o ocorrido na súmula.

Remo e Paysandu: Em jogo entre as equipes do dia 4 de dezembro, a torcida do Paysandu chamou de veado o jogador Neto Pessoa. Em outro momento, um grupo de organizados gritou “Remista é gay, é gay, é gay”. Os torcedores do Remo também entoaram cantos homofóbicos. “Todo veado que eu conheço é bicolor”.

Corinthians: Contra o Grêmio, no dia 5 de dezembro, torcedores do time alvinegro entoaram cantos de “gáucho, veado” para os jogadores em campo. O ocorrido não foi relatado na súmula da arbitragem.





Source link

Related Articles

Stay Connected

22,952FãsCurtir
3,373SeguidoresSeguir
19,800InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles