Reino Unido confirma dois casos da variante Ômicron e coloca Europa em alerta


A Bélgica também informou que a nova cepa do coronavírus, considerada ‘de risco’ pela OMS, está no país; Alemanha, República Tcheca e Holanda investigam suspeitas

Andy Rain/EFE/EPAApós descoberta de nova variante da Covid-19, governos europeus impuseram restrições a voos vindos de países da África

Depois de a Bélgica confirmar o primeiro caso da nova variante da Covid-19, o Reino Unido também revelou que a Ômicron já está no país. Dois viajantes que voltaram da região sul da África testaram positivo e tiveram a confirmação de que foram infectados pela cepa descoberta na África do Sul. A Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido (UKHSA, na sigla em inglês) informou que o sequenciamento foi feito na noite de sexta-feira, 26, e confirmou “consistentes com B.1.1.529”. Um dos pacientes está na cidade de Chelmsford, e outro, em Nottingham. Ambos permanecem em autoisolamento.

O continente europeu vê com preocupação o rápido avanço de casos suspeitos e confirmados da nova variante. Alemanha, República Tcheca e Holanda investigam casos suspeitos. O Estado alemão de Hesse afirma que há uma “alta probabilidade” de a Ômicron ter chegado ao país. Em Amsterdã, ao menos 61 passageiros de dois voos da África do Sul testaram positivo para o coronavírus na noite da última sexta-feira. Testes foram feitos para determinar qual a variante. Andrej Babiš, primeiro-ministro tcheco, informou que o país investiga o caso de uma mulher que voltou com Covid-19 da Namíbia. Ela também passou por África do Sul e Emirados Árabes.

Após a descoberta da nova variante, a maioria dos países europeus impôs restrições a voos vindos de países da África. Habitantes de Namíbia, Zimbábue, Botsuana, Lesoto, Essuatíni, Angola, Moçambique, Malaui e Zâmbia estão proibidos de entrar no Reino Unido. “Se algum habitante do Reino Unido viajou a um destes países no últimos quatro dias, deverão se isolar e realizar um exame PCR”, informou Sajid Javid, secretário de Saúde do país. Sem nenhum caso até agora, a Espanha incluiu o Reino Unido na lista de viajantes com entrada restrita — os outros são o mesmos listados pelo governo inglês, com exceção de Malaui e Zâmbia.

Na sexta-feira, 26, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que a cepa descoberta na África do Sul é considerada “de risco”, ou seja, tem um potencial elevado de infecção e disseminação. Especialistas da OMS denunciaram que o surgimento da nova mutação pode ser considerado um reflexo do “apartheid vacinal”, que deixou o continente para trás no ranking da imunização mundial. O órgão defende que países mais ricos doem vacinas para aqueles em desenvolvimento.





Source link

Related Articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Stay Connected

22,952FãsCurtir
3,118SeguidoresSeguir
19,000InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles